21 de out de 2013

Toda pink

Tem gente que assiste Jornal Hoje ou lê alguma Revista Caras do ano passado. Eu observo cada ser vivo existente na sala de espera do médico.
O ouro está sempre em algum ponto entre a orquídea comprada no Pão de Açúcar e a recepcionista, por quem nutro uma estranha e sincera inveja. Normalmente sacrifico meu horário de almoço para estar ali e penso em como seria mais simples a vida se meu trabalho fosse ficar atrás de uma mesa, das 8 às 16h, atendendo telefonemas, organizando uma agenda e falsificando a assinatura de alguém para o recibo do reembolso.
Desta vez, quem brilhou e ganhou toda a minha atenção foi a perua que decidiu fazer uma ligação importante mas não confidencial. O que todos percebemos pelo tom de voz no celular.
Oi, eu queria encomendar um bolo de aniversário para minha filha. Ela é uma “It Girl”, toda pink. Para você ter uma ideia, o apelido dela é “Diva”.
Foi nessa hora que eu peguei meu caderno e minha caneta na bolsa e comecei a transcrever o que vem a seguir.
Eu sei que bolo agora é naked, talvez vocês achem muito clichê, mas pensei num bolo em formato de bolsa ou de uma menininha toda loira, toda pink. Mas não bolsa Chanel, que eu já enjoei. Aquela mulher (Coco Chanel, suponho eu) precisa se mexer (!!!), mudar alguma coisa (??). Sério… Pensei numa Valentino. Posso mandar fotos das minhas para vocês se inspirarem mas elas são todas pretas e, para ela, precisa ser (adivinha) super pink, super menininha, que ela se veste super bem, toda na moda, toda bonitinha. As bolsas dela são mais da Hermès, que ela usa atravessadas, super fofinha. Mas eu queria Valentino. Tudo menos Chanel. Afe (num tom de eca). Ela faz 19 anos (tomei um susto porque imaginei uma menina-toda-pink com, no máximo, 10). Vai ser uma surpresinha. Bebida? Champagne (claro, hello!). Tá ótimo este preço. Meu marido está viajando. Ele volta quinta dos Estados Unidos. (isso foi dito assim, do nada mesmo. Só para constar.) Ai, que bom. Vocês são ótimos. Obrigada.
Então ela olhou para mim, sorriu e disse: Pronto.
Provavelmente aquilo queria dizer que tudo o que ela tinha para fazer naquele dia estava feito. Ao contrário de mim que, além mofar mais 40 minutos e voltar para o trabalho, agora também precisava chegar em casa e escrever isso.