5 de jul de 2015

O Cabelo

Outro dia fiquei sabendo que a personagem da Adriana Esteves na novela Babilônia tem uma fixação pela personagem da Glória Pires. A ponto de fazer uma transformação para ficar fisicamente parecida com ela.
Desde então fico pensando no tamanho do desafio na carreira de Adriana. Porque parecer a Glória Pires pressupõe que você tenha que tentar ter O Cabelo Da Glória Pires. Atente-se para o uso do verbo tentar.
O Cabelo Da Glória Pires é uma instituição, uma categoria que está no topo da cadeia alimentar dos cabelos, o máximo que um ser vivo pode alcançar em termos capilares. Desde que ela apareceu em Dancin’ Days, em 1978, aquele cabelo passou a ser uma referência, obviamente inalcançável, na minha cabeça. A não ser que você seja filha da Glória Pires ou tenha uma árvore genealógica muito semelhante, lamento, mas aquele cabelo preto, liso, brilhante e pesado não vai acontecer para você. Nem para a Adriana Esteves, nem se ela contar com a ajuda dos cabeleireiros mais fantásticos da Via Láctea.
Se eu fosse roteirista desta novela, pensaria num outro tipo de fixação e pouparia a excelente atriz Adriana Esteves de tentar fazer um corte de cabelo “igual” ao Da Glória Pires e ficar com aquele capacetão com que ela se encontra.
Marion Cotillard teve facilidade para se caracterizar e parecer Édith Piaf mesmo sendo 20cm mais alta. Jamie Foxx literalmente se transformou no Ray Charles. Não vamos tão longe: Daniel de Oliveira chegou a ficar estranho de tão parecido com Cazuza. Mas nenhuma atriz que me ocorra vai conseguir interpretar O Cabelo Da Glória Pires sem parecer um Playmobil. Vamos apenas aceitar os fatos.