7 de mar de 2007

Choro Tecnico

Sempre tive uma inveja danada de quem sabe chorar bonito. Aquele choro digno em que as lágrimas escorrem mas o rímel não. O choro que a gente vê em todos os capítulos das novelas da Gloria Perez e das mexicanas. Que não deixa o nariz batatudo, nem vermelho, nem escorrendo. O choro que permite que você fale durante, sem engasgar, soluçar e tossir.
O meu choro é o mais feio que eu já vi. E como sou uma pessoa que chora com facilidade, vira e mexe preciso lavar o rosto no banheiro da firma, esperar todo mundo sair do cinema, não atender o telefone em dia de eliminação do big brother ou simplesmente não usar rímel.
Devia existir um curso para isso. Você passaria por treinamentos em que aprenderia a identificar e lidar com os diferentes tipos de choro: o sem-motivo, o interminável, o compulsivo, o de alegria. Mas tudo com um objetivo final muito claro, um nível de aprendizado e auto-controle altíssimo. As poucas mulheres que conseguissem chegar ao final deste curso seriam admiradas e invejadas, virariam referência e dariam palestras pelo mundo. E quando elas andassem pelas ruas, as outras iriam se cutucar e comentar com admiração:
- Essa daí engole.

2 comentários:

Cláudia disse...

E espirro? Tem gente que o espirro mais parece um suspiro: xim! Assim, bem baixinho.
Já o meu me dá até dor de cabeça, credo!
Chorar igual em novela mexicana, daquele jeito que não borra a maquiagem (carregada) das personagens, só no dia em que vc se chamar Mafalda Carolina, aí quem sabe?

Luka disse...

Nega, eu uso rímel a prova d'água. Funciona bem, quando eu não esfrego convulsivamente os olhos....