28 de set de 2014

Bad Hair Everyday

Ter um “Bad Hair Day”, você sabe, significa ter um daqueles dias em que era melhor não ter saído da cama. Mas a tradução literal desta expressão da língua inglesa é sobre aqueles dias em que o seu cabelo simplesmente não se ajeita. Toda mulher passa por alguns. Eu passo todos os dias. Que eu me lembre, nunca tive um Good Hair Day na vida. E diante disso, só pude me resignar e aceitar meu cabelo ruim como ele é.
E olha que louco: pelo menos na minha frente, a maioria diz que acha meu cabelo ótimo. Inclusive eu, que nem sequer me imagino sem meus cachos e a bagunça toda. Aliás, já que é para ser assim, eu quero mais é que ele seja bem volumoso. Cachos, ativar.
Isso faz de mim mais do que uma mulher, mas um ponto de referência. As pessoas mostram o quadro perto da moça do cabelo, dizem que a saída é atrás da mulher cacheada, e por aí vai.
Mas ter meu cabelo tem suas vantagens. Eu preciso ir muito poucas vezes ao cabeleireiro porque, convenhamos, não há nada que possa ser feito por aqui.
Acontece que num salão de cabeleireiro eu sou, literalmente, a última remanescente do Movimento Curly. Todas as cacheadas que estão lá vieram para fazer alisamentos e eu, consequentemente, me torno “o assunto”. Se o meu fosse como o seu eu não alisaria, dizem elas. Gente, mas o meu é como é porque eu não aliso.
Mas começar meu Manifesto Curly ali poderia, em última instância, reduzir o faturamento do salão. Então eu prefiro escutar, que é muito mais divertido e você há de concordar.
A manicure que está pintando minhas unhas me conta que o cabelo dela era igualzinho ao meu. Difícil imaginar isso porque ele está preso num rabo de cavalo muito puxado. Ela me diz que decidiu fazer o primeiro alisamento na adolescência, depois de uma conversa com seu pai. Ela falou: “Pai, vou deixar meu cabelo crescer. Quero que ele fique bem comprido e que vá até a bunda”. Então o pai, com todo o tato, respondeu: “Se você deixar crescer tanto assim, ele vai bater na bunda de São Pedro. Esse seu cabelo só cresce pra cima”.
Até eu tenho que admitir. Diante de algo assim é realmente difícil não sucumbir.

6 de set de 2014

Imbecil

No dia 28 de agosto uma imbecil saiu de casa e foi ver o jogo Grêmio X Santos. Ninguém mandou a imbecil fazer isso. A imbecil foi porque quis. Durante o jogo, na comoção da partida e repetindo o que gritavam outros imbecis exatamente iguais a ela, a imbecil abriu a boca muito bem aberta, arregalou os olhos muito bem arregalados, fez uma expressão bizarra de ódio muito bem odiado e berrou muito bem berrada a palavra macaco, se dirigindo ao goleiro do Santos. Não contente com isso, a imbecil repetiu: MA-CA-CO. Foi então que a imbecil percebeu que estava no telão do estádio e mudou rapidamente de expressão. Fez cara de menininha.
Eu não estava vendo o jogo. Vi depois. E vi dezenas de vezes.
A cada play, mais eu lamentava a aparência de menor de idade da imbecil. Porque a imbecil tinha que ir para a cadeia pelo que fez. Isso por lei. Que eu não sou imbecil de achar que, SÓ PORQUE EU ACHO, a guria deveria ser punida.
Como a imbecil é ela, na cabeça dela esse raciocínio é perfeitamente válido. Só porque Aranha é negro, ELA ACHA QUE PODE ir ao estádio, abrir a boca, arregalar os olhos, fazer cara de ódio e gritar MACACO para ele.
A imbecil apareceu no telão, o Brasil inteiro viu e muita gente quer que a lei seja cumprida. E que a imbecil aprenda numa aula bem prática que não pode fazer o que acha que pode, se isso for contra a lei. Mas só uma aula prática não costuma ensinar gente imbecil. Então o time da imbecil também foi punido e ela começou a entender um pouco melhor o tamanho da imbecilidade que fez.
Eis que, junto com a punição do time, surge um coro de pessoas dizendo que já estão pegando pesado demais com a imbecil. Que apedrejaram a casa dela (coisa que os vizinhos desmentiram), que ela tem amigos negros (???), que estão exagerando nos xingamentos contra a coitada. Vocês estão reclamando porque a imbecil está sofrendo discriminação? É isso mesmo? Ela está passando por isso há uns 10 dias e vocês acham que já foi longe demais? Mas isso é meio imbecil, não?
Já vi gente justificando que Macaco é o apelido dos torcedores do Inter. Será que a imbecil é tão imbecil que não percebeu que o jogo era contra o Santos? Santos é Peixe, imbecil.
A imbecil pediu desculpas publicamente. Não fez mais do que a obrigação. Está respondendo por crime e tem que ir à delegacia depor. Não faz mais do que cumprir o seu dever. Sai com escolta porque está sendo hostilizada pelas pessoas na rua. Não é nada diferente do que ela fez no estádio. Abre parênteses: os policiais falaram que ela só começou a chorar quando as câmeras dos jornalistas foram ligadas e apontadas para ela. Antes estava tranquila e muito bem instruída pelo advogado. Porque gente imbecil precisa mesmo ser muito bem instruída ou dá merda. Fecha parênteses.
Eu não sou imbecil de achar que ela foi a única, que o racismo no Brasil vai acabar com este episódio, mas este fato isolado precisa servir de exemplo. Precisa. Espero que o caso seja encerrado logo, que a imbecil vá para a cadeia, que a experiência lá dentro seja linda para as detentas que vão recebê-la e que tudo isso junto seja suficiente para explicar para pelo menos uma dezena de imbecis que racismo é inadimissível. Ponto.

PS: Este texto utilizou 29 vezes a palavra imbecil para se referir a uma pessoa. Imbecil pode. Macaco, não. (Agora são 31).