15 de jun de 2007

Presente de namorado grego

Não sei você, mas eu nunca dei sorte com presente de namorado. Minto, já rolaram alguns presentes bem fofos, sim. Mas por algum motivo não consigo lembrar de nenhum para citar (logo, não foram tão fofos assim). O que lembro mesmo foi da sensação de “o que é que eu digo agora?” depois de abrir os pacotes.
Já ganhei aqueles bichos de pelúcia com olho de gente. Pra mim não tem coisa mais deprimente do que um urso com cílios da Elke Maravilha. Pois ganhei o mais chavão de todos, da Lionella. Nunca tirei da caixa.
Outra vez o presente até que era ok, mas o gato errou no cartão: ele comprou um desses que se dá para recém-nascidos. Aliás, por que dar um cartão para um recém-nascido? Tinha a ilustração meiga de um cachorrinho de fraldas e os dizeres eram algo como “que bom que você chegou, fofura”. Branco na hora de escrever um cartão eu entendo. Mas para comprar é de doer.
Mais um: na época da faculdade, eu era pouco mais do que uma adolescente e me apaixonei por um cara intelectual. Estava encantada e vivia me esforçando para mostrar que eu era suuuper madura para a minha idade. Adivinha o que ele me deu de presente? Um diário desses bem teenager, com ilustrações e adesivos para colar. Ju-ro.
Para fechar com chave de ouro: viagenzinha romântica, praia, tudo lindo. Até que chega a hora de trocar presentes. E eu me deparo com um CD da Lecy Brandão. Não, não era o acústico MTV da Lecy Brandão que, se existisse, já seria bem bizarro. Era um daqueles tipo: os 20 maiores sucessos. Juro que procurei a câmera escondida do Faustão. Dei uma sonora gargalhada e pensei: ele tá me sacaneando, que bonitinho. Mas não.

Tem mais. Mas chega, né?

8 comentários:

val disse...

Então, nessa hora que funciona aquela "cara de papel de parede" que eu te falei...

Beijos Linda...

Gerson disse...

Seinfield....monólogos....tá avançando a coisa...hehehe

Só filmar!

Lizi disse...

Pois é guria!
Nunca tive muita sorte com essas coisas. Não entendo como alguém que convive contigo há tempos não sabe teu gosto. Pior é quando dizem: "eu mesmo que escolhi" ou ainda, "comprei um presente que é a tua cara". (essa última me dá arrepios). Detesto mentir,mas tem vezes que meu desgosto fica notável: "não gostou né?"...

Beijos e por favor responde meu e-mail.
Kikita

Gera disse...

uuuuuuuuuhahahahahahahaha

ai

caráio, q saudade dum drink e ouvir estas ao vivo

wondermarx disse...

Uma vez ganhei um Elmo de pelúcia. Juro.

Julia disse...

é por essas e por outras que eu prefiro não receber presente nunca. odeio presente!

Marcelo Anschau disse...

Guria, tu me faz rir muito.

Anônimo disse...

Pára não pô, quem sabe essas histórias não virem seu tão sonhado livro de crônicas e descrônicas? rsrsrs. Vá contando que a gente prestigia :). Só um detalhe, Veríssimo não sei, mas Bárbara gância com certeza hehe