17 de nov de 2008

Vera Loyola e naftalina

Ontem eu resolvi dar uma geral nos meus-livros-meus-discos-e-nada-mais e dei de cara com Totalmente Vera Loyola. Uma biografia para lá de autorizada que eu tive a coragem e o prazer não muito convencional de ler em 2001. Abri para recordar as pérolas e percebi que ele estava todo sublinhado. E com razão.
O livro é dividido em capítulos com títulos sugestivos como: Bateu, Levou, Emergente benemerente, Não há um dia em que não esteja na mídia, Eu sou a modernidade social e Desafetos. Todos recheados de citações deste naipe:
“Eu estava elegantíssima num tomara-que-caia roxo-batata”
“Não considero meus amigos fumantes párias ou sem-vergonhas. Acho-os dignos de cuidado, torço para que eles encontrem um tratamento para abandonar este companheiro tão prejudicial quanto indesejável”
“Agora uma curiosidade: não é só no Brasil que existem os trombadinhas, os pivetes. Fui assaltada em Paris”
“Vera se acha realmente uma pessoa a quem Deus delegou uma missão. No caso, de sacudir, alertar, chocar, encantar, espantar, encarar, fazer sonhar, partilhar, emocionar, dividir opiniões e, sobretudo, gritar para que o povo a ouça. Nesse sentido e até pelo perfil físico e psicológico, tem tudo a ver com Evita Perón. Se derem um balcão a esta mulher, o Brasil que se cuide”. Vai dizer que você não concorda? O Brasil que se cuide.
Adorei Conhecer é o título do capítulo mais cara-de-pau de todos. Ela deve ter achado que 100 páginas eram muito pouco para uma biografia daquele quilate e não teve dúvidas: fez uma lista de 18 (eu disse dezoito) páginas, com nomes completos de pessoas que ela gosta, com um nome por linha, centralizados na página. Já o gran finale é chamado Momentos de Sabedoria, capítulo em que ela fala sobre os livros que leu “ao longo da vida”. “Li Jorge Amado, é claro, alguma coisa do Machado de Assis e, dos dias atuais, Paulo Coelho”. É claro. E termina assim: “Um dos meus mais assíduos fãs, que sabe do pouco tempo que me sobra para atividades intelectuais e da minha paixão por citações – daquelas construtivas, profundas, que fazem você pensar, me envia semanalmente várias dessas pensatas. Vou dividir com vocês algumas delas.” E tasca mais 4 páginas de citações com autoria de Pitágoras, Sócrates, Vinícius de Moraes e Henry Ford, entre outros. Um deleite.
Ficou a fim? Joga no Google que eu vi por R$ 4,00. Comprei o meu na banca de revistas. Aliás, voltei para procurar o livro do Alexandre Frota, mas infelizmente estava esgotado. Se alguém tiver, eu negocio.

6 comentários:

gera - man in the box disse...

olha, verinha não tive coragem de comprar

mas comprei na sala com danusa I e II (edição atualizada e relançada)

confesso q amei do começo até a ultima palavra / um hit

Luciana disse...

Danusa é tudo!! Duvido que ela dava um post tão engraçado como esse.
Na Vera sim, pode descascar! Adorei, Flá!

Gi disse...

Nem minha xará Bündchen ficaria elegantíssima num tomara-que-caia roxo-batata.
Creioemdeuspai...
rsrsrsrsrsrs

Ela é tão doida que fiquei até curiosa.

Alex disse...

Adorei o post...ta ai, biografia e suas pérolas..hUASHu..

t+

Anônimo disse...

Também quero o livro do Frotinha. Mas não tenho coragem de dizer meu nome. huahuahua

Luccas Jones disse...

Meeeeeu Deus, que brega, juro que queria ler, uhashuahu, adoro essas coisas trashs, me mato de rir.

Beeeijo^^