11 de jan de 2009

Não fala assim que é feio

Amo São Paulo, os paulistas e o sotaque daqui. Não consigo me imaginar morando em outro lugar e fico muito puta quando alguém muda para cá e fica reclamando da cidade. Mas como faz quase 9 anos que eu moro aqui, me sinto no direito de fazer uma reclamação ou uma crítica construtiva. Uma não, três. Por favor, não me interpretem mal. Apenas pensem a respeito e, se possível, encontrem maneiras similares de falar quando precisarem usar estas três expressões (só estas).

Mistura.
Explicando de uma maneira ilustrativa, mistura é tudo o que acompanha o arroz e feijão nas refeições. As pessoas ligam para casa e perguntam: mãe, vou almoçar em casa hoje. O que vai ter de mistura? Ou: o preço da carne está pela hora da morte. Vou comprar frango para fazer a mistura lá em casa. Num restaurante que serve PF, a pessoa chega e pergunta: qual é a mistura de hoje? Mistura é muito deprê. Afe.

Hoje me desceu.
Você ficou menstruada e não quer usar esta palavra para se referir ao acontecido (não entendo. por que não?). Então você chega para sua amiga e diz: Nossa, estou com uma cólica daquelas. Hoje me desceu. So-cor-ro.

Lomba.
A mina conta que passou uma temporada num spa e dá detalhes: perdi 4 cm de cintura, 2 de glúteos e 3 de lomba. Lomba? Na boa, se alguém tem isso, tem mesmo que perder. Ontem.

Pronto. Prometo que não reclamo de mais nada.

14 comentários:

Gi disse...

credo.
faço minhas as suas palavras.
rsrsrsrs

Helena Cortez disse...

E depois o que é é mais importante? A carne ou o arroz e feijão? Não deveria ser o arroz e feijão a tal mistura? Na verdade, quer saber, esse negócio de mistura devia mesmo parar de existir. Cruzes.

marcia disse...

Lomba não conhecia.
Mas odeio "mistura". A primeira vez que ouvi tive vontade de vomitar... mas ai lembrei do nosso "cacetinho" e me calei.

Anônimo disse...

Eu não sou gaúcha mas entendo que chamar pão de cacetinho é engraçado. Mistura é eca.

Blog demais.

Tita

Gera disse...

hahah

curti a lomba

mistura acho o final dos tempos

Josi Paz. Sagitário. Com Touro. disse...

Flávia, foi pelo blog que cheguei em vc. Li, adorei e aí o teu nome soou familiar. Fui checar, não deu outra: era vc mesmo. Tô leitora total! E passando adiante. Este post tá demais e o das músicas, idem! Linkei o seu blog no meu (humilde).

Bia disse...

chorando de rir da lomba...........
bjs
Bia

Nitzah disse...

Hahahaha! Mistura eh derrota mesmo, sempre tive a-g-o-n-i-a dessa palavra, que tambem se usa muito em Minas, terra da minha familia. :)

(e foi mal pela falta de acentos, teclado ingles tem esses problemas)

3du Mesa disse...

Gente educada não fala essas coisas em nenhum estado da federação.
Bjs

Luccas Jones disse...

Mistura é uma lááááástima, a primeira vez que eu ouvi foi quando fui em Sampa (cidade que amo, presente de 15 anos). Depois, zapeando na televisão, ouvi no CASOS
DE FAMILIA, quase morri de novo, é lamentável demais essa palavra, parece que a comida é lavagem de porcos.

Lomba é ruim demais, auhuahua. A da menstruação até que é aceitável, vai, uahsuahusa.

Luciana disse...

E o:
Mãe, o que vai ter de janta?

3du Mesa disse...

E quando as pessoas falam "dia de quata, dia de sexta"? É bem feio esse paulistês.

Palmitos e Cogumelos disse...

Moro em SP há exatos 9 anos tb... Suas observações são cirurgicas, rachei o bico (outra expressão daqui).
Tem mais, eu detesto ouvir: Obrigado eu no lugar de EU QUE AGRADEÇO.

PS: minha sogra fala desceu pra mim.

Esther Botelho disse...

Muito, muito, muito bom!

rsrsrsrsrsrsrs

Mistura é muito triste. Lomba até q vai.

Eu moro no interior do RJ e aqui também escuto umas boas, exemplo:

"Cê tá gastando ni mim"
Tradução: Vc tá me zuando! Tá rindo de mim!

"Qual é véi?"
(pelo amor de Deus, véi chega a doer)

Entre outras que eu naum to lembrando agora.


Depois se puder passa no meu blog:
http://entreaspas2.blogspot.com/