26 de mar de 2011

Um cocozinho. De pato.


Foi o que eu achei do filme Cisne Negro. E a culpa é de quem fica se desmanchando em elogios e elevando a expectativa da gente a proporções que o filme não tem como bancar. Não vou ficar achando que tem alguma coisa errada comigo por não gostar.
Sensação de já vi isso antes. Quando começou, já sabia o que ia acontecer no final. O lado negro da mina é coisa de adolescente. E, para piorar, eu não sou homem pra ficar pagando pau para a Nat, que é linda (muito). Só porque mistura terror (terror?) com balé eu tenho que achar inovador? Achei bonito como um patinho amarelo. De 0 a 100, nota 22 para ele.

6 comentários:

Ale Salvatori disse...

Gostei da versão abrasileirada do "de já vi"... :P

Gi disse...

Tbem fui com muita sede ao pote. Odeio gente que comenta o filme antes da gente ver. Estragam tudo.
bjbj
Gi

Adriana disse...

O pior fui eu que decidi ir assistir no Reserva Cultural e resolvemos jantar por lá mesmo antes da sessão....e o casal da mesa grudada ao lado resolveu comentar o filme inteirinho inclusive o final.....aí é que não teve graça mesmo!!! Falta de criatividade conversar sobre o filme em cartaz no restaurante do cinema!!

gera disse...

ihh vc faz sociologia na usp?

o filme não é o maior filme do mundo. mas é bom sim. podia ter caído no buraco negro da cafonagem com ela virando cisne, pata, pescoço. achei coragem. e que vc devia era ter visto antes de ganhar o oscar

Flavia Coradini disse...

Vi antes.
Postei depois.
Para nnao ser mais uma desmancha-prazeres no mundo.

Helena disse...

exatamente isso que achei. É um bom filme, mas não é tudo isso. Muito menos inovador.