9 de jul de 2008

Lei Seca

Seca, na língua dos solteiros de plantão, significa não tô pegando ninguém. Se um amigo desabafa que está numa seca dos infernos, você já sabe que ele não pega nem gripe, tadinho. E essa Lei Seca está servindo mesmo para acabar de vez com as nossas chances de diversão e perversão.
Tem coisa mais chata? Você sai de casa na nóia de ser pego numa blitz, ter que soprar aquele canudinho constrangedor com direito a câmeras da Rede Globo registrando tudo. Eu tenho mais medo dos meus pais me verem soprando na TV do que perder a carta ou pagar multa.
A Lei Seca acabou com os papos animados nos bares. Ontem eu fui encontrar uns amigos e me deparei com o lugar, que deveria estar lotado, com várias mesas vazias. Estranho. E os poucos sobreviventes falam sobre o mesmo assunto: Lei Seca. O que você tem o direito de fazer, que caminho fazer para voltar para casa e não passar por nenhuma blitz, se é razoável ou não é. Papo chato. Em vez de comentar sobre alguém no balcão as pessoas falam de táticas para burlar a lei, como chupar o bafômetro, em vez de soprar (genial). Ou inventar engenhocas como cápsulas de gás carbônico puro que você coloca na boca, morde e sopra no canudinho. E as estatísticas (deu no Jô): 30% dos acidentes são causados por motoristas alcoolizados. O que quer dizer que os outros 70% de todos os acidentes são culpa dos sóbrios no volante. Fiquem de olho nessa gente e deixem os boêmios em paz. Claro que tem gente que abusa. Mas isso precisa ser mais razoável, menos hostil e agressivo. Repararam que todos os cambaleantes que aparecem na TV são de Sorocaba? Pegaram os sorocabanos para cristo?
Mas o que mais me irrita são as pessoas tentando fazer disso uma coisa divertida. Como aquela mesa dos amigos suuuuper felizes da firma reunidos num bar, que sempre aparece no Jornal Nacional. Eles têm o “Amigo da Vez”. Nome divertido para o looser que vai passar a noite se entupindo de Coca-Cola e depois levar a galera bebum para casa. Ora, não me encham o saco. E os bares que têm seus próprios bafômetros? E as pessoas que decidiram comprar seus pocket-bafômetros e carregar na bolsa? Gente cafona.
Que graça tem ir numa balada e não poder beber nem um embelezador para achar lindo aquele cara mais ou menos, nem um encorajador para puxar um papo do nada. E o preço da balada mais o táxi de ida e volta? Tudo errado. Resolvam essa lei e a nossa seca. Seu bando de desmancha-prazeres.

14 comentários:

marcia disse...

Flávia
Concordo contigo
Hoje tomei 1/2 garrafa de Merlot.
Sou garupa.

Luccas disse...

Um dia eu quero sair contigo, ausahusuhas, sou tão seu fã, Fláviaaaaaaaaa!

Eu concordo contigo, o jeito é arranjar um amigo que vai se entupir de coca cola, auhshausuas.

Se naõ, Adeus a Martinis, Sos Malibus, Cosmopolitans, Sex On The Beach... Putz, falando isso deu até vontade de bebê-los, uhashuauas.

BEIJOSSSSSSS!

Helena disse...

Eu fico descolando uns amigos malucos que não ligam em ser pegos. Aí vou de carona e encho a cara igual... hahahahaha
Mas será que eles vão começar a se preocupar? Eu confesso que eu fico na maior nóia. Porre isso. Aliás, ressaca!

Anônimo disse...

É triste quem precisa beber para ser feliz.

Dedinhos Nervosos disse...

Bacanérrima,

Essa marcação existe aqui, em Vitória, há uns 4 ou 5 anos. O nome é “Madrugada Viva”. Eu já fui parada 3 vezes. Na 1ª, se eu soprasse o canudinho, era capaz de explodir na cara do “poliça”. Por Deus, ele me liberou e, depois disso, nunca mais bebi muito e peguei o carro. Claro que ia dar problema com o bafômetro, mas os agentes eram mais tolerantes. Agora, é tensão total.

Vi uma reportagem semana passada feita no sul que, em 15 dias, os pedidos de resgate aos finais de semana caíram em quase 40%.

E agora?

Luciana disse...

Aqui eu não sei o qto dá pra beber. Mas um dia nós fomos parados e o Rafa teve que soprar. Ele tinha bebido uns 2 copos de cerveja. Ele, preocupado, soprou "mais ou menos" e o guarda ficou puto com ele. No fim, soprou direito e não deu multa. Se der, são 500€ na hora. Mas pelo menos aqui não tem tv filmando o mico.
Tô passada com essa lei aí. Vc tem minha solidariedade.

Anônimo disse...

Putz, agora não sei se começo esse comentário com "Flááá!!! Te achei!!!" ou se começo perguntando "Com licença, você é a Flávia Coradini redatora, gaúcha?"
Achei que só existiria uma Flávia Coradini nesse mundo, mas o Google apontou também para pelo menos mais uma, daí ficou a dúvida.
Bueno, com licença, você é a Flávia Coradini, redatora, gaúcha? Se for, avisa aí pra onde eu te mando um e-mail, sua desgraçada. Se não for, desculpe pelo "desgraçada" da frase acima. E não precisa informar e-mail, não.

Obrigado.

Gabriel Britto

fora-da-lei úmido disse...

Não!, não!, não!, não!, não!. Flávia Co-ra-di-ni?

Beto Schmidt disse...

A única vantagem da Lei Seca é que a gente não canta mais Sinatra na volta pra casa. O coitado devia se remexer na cova!

Anônimo disse...

Taxi nao custa os olhos da cara. Ser carona nao eh cafona, cair de bebado eh.
Na Europa eh proibido beber e dirigir, os bares continuam cheios, todo mundo bebe e ninguem dirige. Se dirige vai para a cadeia.
Achar que beber e dirigir nao tem problema so prova que o pais eh atrasado mesmo.

Carla disse...

Tem vários prós e contras. Mas concordo que o clima está hostil demais e que a vida ficou menos divertida. As besteiras que a gente fazia e podia justificar que fez porque bebeu demais agora não têm mais desculpa. Vamos sentir saudades dos micos. Agora se as próximas gerações perderem menos amigos em acidentes do que eu já perdi, acho que já está de bom tamanho.

Rojas disse...

Flabia Corradini, no creo que es tu. La verdadera? Impossible. Te olvido desde Paraguay, linda .

Re disse...

Este povo é um bando de mal amado.
Sabe? Os feinhos que nem com 10 doses ficam belos? Pois bem, estes criaram a lei, pois nunca vão para bares, não sabem o que é um porre saudável entre amigos, não sabem o que é ser feliz. Nunca foram chamados para os "esquentas" nas casas dos amigos. Acabaram os "esquentas", pois senão pode beber nos bares, imagina antes? Correr o risco de 2 blitz? Ah! Socorro, quanto mais eu penso, mas me dá vontade de beber. Vou no A.A. esta noite. Eles que são felizes.
beijos
Re

Bruna disse...

Eu entendi perfeitamente o que vc quis passar e concordo com vc. Não que devia ser liberado o combo beba+dirija, mas sim que a lei não seja tão drástica assim. Afinal, basta comer um bombom de licor que vc é pego, que raios de lei é essa? Pra mim, aquela que quer diminuir os gastos do governo, para que eles encham ainda mais os bolsos. Além de apelar ao suborno com os policiais.
Como vc disse, claro que há alguns que exageram e fazem estragos, e para mim esses sim é que são os atrasados e infantis. E não aqueles que querem sair para beber moderadamente com os amigos.