8 de jul de 2008

Última Coca Zero do deserto

Tem dias que a gente sai de casa se achando tu-do. Eu adoro essa sensação.
Por mais que a gente esteja usando o mesmo jeans de sempre, a bota que já tem a forma do pé, a blusinha legal mas sem nenhum motivo para causar o efeito que causa, dá para ver a expressão das pessoas olhando. E eu não posso culpá-las por isso (tá, parei). Tem horas que eu penso: gente, tadinho do gordinho, ou do magrelo, do bigode, do bofe, enfim. Olha a cara dele olhando para mim. Parece que não vê mulher há tempos. Mas o que provalvelmente eles não vêem mesmo, pelo menos não com freqüência, é alguém se sentindo bem consigo mesma. Andando com passos largos e o cabelão voando nesses dias lindos de sol que têm feito. Este é o segredo. É o que faz a diferença. A maioria das pessoas anda de cabeça baixa, desviando olhares, com a testa franzida e a alma pesada. Eu não.
É ou não é assim? Estou falando alguma besteira? Gente, será que sou eu mesma, então? Sabia.

7 comentários:

marcia disse...

Brilha!

Anônimo disse...

É minha primeira vez por aqui. E já tenho razões para voltar. Esta sensação é mto verdadeira. Quando a gente se sente bem o mundo percebe. Seu blog é muito legal. Li quase tudo. Tbem amo As Pontes de Madison.

Parabéns

Carla

Gi disse...

rsrsrsrs
quem já não viveu o seu dia de última bolacha do pacote?

Helena disse...

hahhaahha
adoro essa sensação.

Luccas disse...

Todo mundo passa uns momentos assim na vida né? E o mais gostoso é quando recebemos uma cantada, um olhar...

UHHHHHHH! Não há nada que pague esse momento, auhshaushaus..

Pena que não estamos assim nem 10% do ano, auhshashaus, pelo menos eu não.

Luccas disse...

Hasuhasua, ah, eu uso a expressão 'O último gelo da Caipirinha de Domingo'.

Todo mundo tem a sua versão para essa frase que nos fim, diz a mesma coisa, né?

Re disse...

tem dias que podiam virar anos.... rsrsrsrs
beijos
Re