24 de ago de 2010

Terça-Feira por Marcelo Sato


Uma das imagens de que mais gosto é a das mulheres da resistência francesa, com suas saias, botinhas e boinas no lugar de fardas e coturnos masculinizantes. Esse toque de feminilidade no meio de um cenário mundo cão, me parece fascinante, sedutor, comovente. Decerto esses “looks” funcionavam como disfarces, já que a resistência atuava com táticas de guerrilha para emboscar nazistas à paisana, em locais furtivos como becos e cafés de Paris. Claro que por trás dessa visão poética de fotojornalismo cult, havia a realidade cara lavada da guerra, onde muitas militantes acabaram cruelmente torturadas e executadas. Mas a própria idéia de resistir ao poder dominante já é romântica por si mesma.
Como na cena de Casablanca, onde Ingrid Bergman se derrete toda ao ver seu amado, um líder da resistência, entoar a Marselhesa em alto e bom som, para abafar a festinha de um grupo de folgados alemães, que já estavam achando que o bar do Rick era a casa da mãe Joana D´Arc.
Todo esse longo preâmbulo foi só para homenagear este blog mais do que bacana pelos seus 4 anos. Que apesar de acumular tantos leitores, de hoje ser quase mainstream, não deixa de ser um foco de resistência. Principalmente contra o atual bombardeio de bulshitagem do dia a dia, essa mediocriadade que, cof-cof, chega a afetar a qualidade do ar. Ainda bem que em nossa defesa, o bacanérrimo vai continuar lançando seus petardos de bom humor e ironia por muitos anos.
Faca na bota, Flavita.

Por aqui você vai direto para o blog do Sato e, quem sabe, me ajuda a convencê-lo de que ele escreve textos excelentes mas precisa mostrar para mais gente.

No post anterior você vai entender porque e quem são essas pessoas que andam escrevendo aqui.

3 comentários:

Gi disse...

ótimo. gostei do blog do marcelo. vou ler também.

bjbj

Gi

Helena Cortez disse...

Já estou lendo!

marcelo sato disse...

Obrigado pelos elogios e pela oportunidade de escrever aqui. Bjos