25 de abr de 2011

Amigas imaginárias


Quando eu era criança tive duas amigas imaginárias.
Uma delas era a Professora Cleuza, que me dava aulas num galpão nos fundos da minha casa. Eu tinha caderno, lápis, tudo real. Mas as aulas e a professora eram imaginárias. Acho que ela surgiu porque minha mãe é professora e porque ela e meus irmãos mais velhos iam para a escola e eu ficava em casa com a empregada a tarde inteira. Queria tanto ir com eles que minha imaginação resolveu me compensar assim.
Minha segunda e mais presente amiga imaginária surgiu logo depois que minha irmã leu o livro Alice no Reino do Espelho para mim. Foi muito alucinante para a minha pequena cabeça de pudim porque, no reino do espelho, tudo é invertido. Inclusive o nome das coisas e das pessoas. O nome da minha amiga era Aivalf porque minha irmã me disse que meu nome invertido era assim. Então eu ficava no meu quarto, falando com a Aivalf por horas e horas.
Depois eu cresci e tive mais três amigas imaginárias. Mas de outra categoria.
Eu imaginava que elas eram minhas amigas e um dia descobri que não eram.

15 comentários:

Ana disse...

Ih, dessa outra categoria já tive varias, infelizmente.

Gi disse...

Isso é genial.
Vou usar esta expressão, ok?
bjbj

Gi

Flavia Coradini disse...

Usa, usa... Falei isso para umas amigas(as de verdade) outro dia e elas riram tanto que precisei escrever. É uma boa piada, vai.

Bjs pra vcs.

JAYME NETO disse...

pra variar...genial

Renata Miranda disse...

Flávia,

Sempre adoro tudo que escreves.

É impressionante como existem "amigos imaginários" por aí!

Bjão!

Renatinha disse...

As amigas imaginárias da infância são bem menos prejudicias a saíde, né?
bjs

Roger disse...

ouch - minha reação no final...

Luciana disse...

Flá, vim aqui procurar um texto sobre o casamento real. Vai escreve alguma coisa!!!! Tá faltando um texto bacanérrimo sobre o assunto! beijos!!

Flavia Coradini disse...

Putz, Lu.
Esse eu vou ficar devendo.
Não tenho nada a declarar sobre este assunto.

A não ser que o Beckham é foda.

Vitor Simon disse...

Siiiiimmm... parece que o Beckham está bem cotado para ser o amigo imaginário da Kate... ops...

Lilian Lovisi disse...

guria, te entendo tanto, mas fora a identificação, gostei do texto. beijo de uma amiga de carne, osso e letras.

Anônimo disse...

Nem me lembro mais como acabei entrando no seu blog...a única coisa que sei é que meu objetivo inicial há uns 18 minutos atrás era pesquisar sobre ambientação de uma tal festa tematica que vou promover...mas como nada que acontece é sem sentido,acabei "ganhando" 18 minutos de puro relax do meu dia mega estressante.. amei seus textos,mas principalmente seu jeito de nos fazer entender cada letra.Coloque nos meus favoritos e passarei a bisbilhotar sempre. Li e "lavei a alma". Literalmente. Quanto ao rímel, concordo em gênero,número e grau. Beijo!! Gisele F. B

Flavia Coradini disse...

Fico tão feliz quando leio estas coisas, Gisele. Bem-vinda e espero que voltes mesmo. Dá uma olhada nos textos antigos. O blog existe desde 2006.
Bjs e obrigada.

Beth Blue disse...

Gostei tanto deste post que decidi compartilhar com os leitores do meu blog.

Coloquei a fonte e link para o seu blog, não se preocupe (sou contra pirataria, hehehe).

beijos

Flavia Coradini disse...

Muito obrigada, Beth. Por gostar, por compartilhar e por citar a fonte. Coisa muito rara nesse mundinho deprê em que vivemos.
Beijos