28 de set de 2014

Bad Hair Everyday

Ter um “Bad Hair Day”, você sabe, significa ter um daqueles dias em que era melhor não ter saído da cama. Mas a tradução literal desta expressão da língua inglesa é sobre aqueles dias em que o seu cabelo simplesmente não se ajeita. Toda mulher passa por alguns. Eu passo todos os dias. Que eu me lembre, nunca tive um Good Hair Day na vida. E diante disso, só pude me resignar e aceitar meu cabelo ruim como ele é.
E olha que louco: pelo menos na minha frente, a maioria diz que acha meu cabelo ótimo. Inclusive eu, que nem sequer me imagino sem meus cachos e a bagunça toda. Aliás, já que é para ser assim, eu quero mais é que ele seja bem volumoso. Cachos, ativar.
Isso faz de mim mais do que uma mulher, mas um ponto de referência. As pessoas mostram o quadro perto da moça do cabelo, dizem que a saída é atrás da mulher cacheada, e por aí vai.
Mas ter meu cabelo tem suas vantagens. Eu preciso ir muito poucas vezes ao cabeleireiro porque, convenhamos, não há nada que possa ser feito por aqui.
Acontece que num salão de cabeleireiro eu sou, literalmente, a última remanescente do Movimento Curly. Todas as cacheadas que estão lá vieram para fazer alisamentos e eu, consequentemente, me torno “o assunto”. Se o meu fosse como o seu eu não alisaria, dizem elas. Gente, mas o meu é como é porque eu não aliso.
Mas começar meu Manifesto Curly ali poderia, em última instância, reduzir o faturamento do salão. Então eu prefiro escutar, que é muito mais divertido e você há de concordar.
A manicure que está pintando minhas unhas me conta que o cabelo dela era igualzinho ao meu. Difícil imaginar isso porque ele está preso num rabo de cavalo muito puxado. Ela me diz que decidiu fazer o primeiro alisamento na adolescência, depois de uma conversa com seu pai. Ela falou: “Pai, vou deixar meu cabelo crescer. Quero que ele fique bem comprido e que vá até a bunda”. Então o pai, com todo o tato, respondeu: “Se você deixar crescer tanto assim, ele vai bater na bunda de São Pedro. Esse seu cabelo só cresce pra cima”.
Até eu tenho que admitir. Diante de algo assim é realmente difícil não sucumbir.

3 comentários:

Carol Cruz disse...

Adorei! hehehe
Essa semana desisti do meu cabelo "lisado" e comecei a campanha #VaiTerCabeloCrespo. Cortei tudo que não era natural e estou, pela primeira vez em,facilmente, 20 anos, deixando o cabelo respirar.

Ler esse texto me deu ânimo! :-)

Renatinha disse...

hahahahaha sei bem o que vc passa... sempre nos salões as pessoas sugerem gentilmente um novo milagroso produto para alisar. qual o problema ser crespa? Viva os dias ruins e os cabelos crespos. eles nos fazem ter muito mais jogo de cintura no dia a dia... rsrsrsrrs
bjs re

lilian lovisi disse...

Você arrasa de qualquer jeito.Mas vamos combinar,basta um na sua casa com pelo liso, o gato.