29 de out de 2008

Meu amigo taxista

A partir do momento que a porta do táxi é fechada, cabe a você decidir se vai ficar olhando pela janela ou bater um papo com seu novo amigo íntimo. Tem gente que acha chato mas eu normalmente opto pelo papo. Meu sotaque sempre dá início ao assunto. Você é do Sul? Eu tenho um amigo/parente em Porto Alegre (sempre). Você está passeando ou mora aqui? Moro. Então está acostumada com o trânsito? Marginal nesse horário é um inferno, mas teve um dia que eu fiquei preso aqui por causa de um temporal e fiquei até emocionado. Sério? Por que? No que começou a chover este Rio Pinheiros ficou todo coberto de garrafas plásticas. Que coisa linda, parecia uma pintura. ( ! )



Mais, só sobre o tema tempestades em São Paulo:

Taxista fala: Quando começa essa chuva forte eu fecho bem a boca. Por que? É que eu tenho muitas obturações e quando cai raio, meus dentes doem.

Final de ano. Na volta do Reveillon, com chuva, eu pego um táxi para casa, desejo feliz ano novo, pergunto como foi a comemoração. Ele responde: 
Ah, mas essa cidade alagou toda. Metros de água. Azar teve a minha vizinha que viajou e deixou o cachorrinho preso na garagem. Caramba, e ele morreu afogado? Não. Era de pelúcia. E soltou uma gargalhada.

Alguns minutos depois ele recomeçou:

Mas você tem um sotaque que não é daqui. Sou do Rio Grande do Sul. Putz, eu não gosto dos gaúchos. Ué, por que? Prefiro as gaúchas. E soltou outra gargalhada.
Alguns minutos depois ele pergunta:
Muita confusão no aeroporto? Até que não. Você deu sorte de chegar agora. Lá pelas 2 da tarde teve um tumulto danado aqui. Eram 4 seguranças tentando algemar um coreano e não conseguiram. Por que? O que ele fez? Nada. Ele não tinha os dois braços. E soltou outra gargalhada.

As piadas eram tão infames que eu caía como uma pata em todas. Genial. Quando chegamos em casa ele falou: desculpe as piadas. Imagina, eu adorei. Então paga o dobro. E soltou uma gargalhada.
A última. Chega, né?

6 comentários:

Anônimo disse...

Eu tbem ja peguei um taxista que fazia piadas como estas. E no aeroporto. Será que foi o mesmo?
rsrs

Dedinhos Nervosos disse...

ÓtEmo! rsrs
Eu tb prefiro bater papo. O 1º "amigo" que fiz aí, na hora de despedir, ele puxou a minha mão e me dei 1 bitoca na bochecha. rs

Um velhinho que me levou pra casa às 6h da manhã da Lôca, só falava: "Vc é uma mocinha (mocinha? 35 anos?) mto bacana. Tem que casar. Vc é mocinha pra casar."

Outro dispensou 5 reais na chegada em Congonhas. Defintivamente, eu amo os taxistas daí! rs

Bj!

Marco. Ou Pernil. disse...

Excelente. Seu taxista eh um personagem do Seinfeld. Bjs.

Luccas Jones disse...

Que medoooo, uahuahushau.
Socorro, eu não costumo falar muito com os taxistas, aqui no Rio a maioria é estranha e grosseira.
Mas no sábado um entrou no carro falando "O cara me ligou pedindo um bife na chapa, achando que tava falando com uma churrascaria do Rio das Pedras [favela] e eu falei 'Eu vou colocar é o meu piru na chapa e te mando'".

Ele riu looooucamente e eu dei um sorriso amarelo, morreeeeendo³ de medo.

Tenho medo da rua a noite e estava pegando o taxi quase que do lado da minha casa só pra não andar, uahuahuas, imagina se ele quisesse fazer o "bife" pra mim também só porque ia rodar pouco? :O

MEEEEEEEEEEEEEEEDO!

Anônimo disse...

As músicas fizeram o maior sucesso e os taxistas não?
Não dá para entender essa gente, viu? Adoro os amigos. Adoro sua histórias. Parabéns!

bjs

Ju

Cris Bauab disse...

ah...Flavinha...sem comentários...estou lendo um por um...sem vontade de párar!! Chorei de rir com esse também!